quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Efêmera vida

“ Fio de linho.
Tão sutil, tão fino.
Vai tecendo, amarrando-se em outros fios, fortalecendo.
Mas no decorrer do tempo, envelhece, enfraquece.
Certo dia, rebenta.”

(por Karen Raquel)

Um comentário:

  1. Poesia dedicada ao meu sempre amado vô Mariano...que DEUS o tenha!!!

    ResponderExcluir